Navigation

Como a Páscoa é comemorada no mundo

Keystone / Steffen Schmidt

A Páscoa é ao mesmo tempo um feriado religioso e pagão, comemorado em todo o mundo.

Este conteúdo foi publicado em 04. abril 2021 - 09:00

A Páscoa combina símbolos espirituais, judeus e cristãos com símbolos pagãos, pois a Páscoa corresponde à chegada da primavera. Há muitas tradições que vão desde procissões até batalhas de água. Cada país celebra a Páscoa de acordo com sua história, costumes e a importância da religião.

As origens

Já na antiguidade, havia uma tradição pagã de celebrar a chegada da primavera, a renovação e o retorno da luz após os longos meses de inverno. O equinócio da primavera era celebrado a cada ano, prestando homenagem a uma deusa da fertilidade. Essa deusa tem nomes diferentes dependendo da região, mas o usado pelos anglo-saxões é Eostre ou Ostara, que lembra o nome inglês para a Páscoa. Além disso, seu animal tótem era a lebre.

Como é o caso de muitos feriados religiosos, a Igreja Católica preservou as práticas ancestrais dos povos convertidos, ao mesmo tempo em que lhes atribuía novos símbolos.

Para os cristãos, a Páscoa evoca a ressurreição de Jesus. O domingo de Páscoa segue a Semana Santa, durante a qual Jesus teve sua última refeição com os apóstolos (quinta-feira santa), foi crucificado no dia seguinte (sexta-feira santa), e depois ressuscitou (domingo de Páscoa).

A ressurreição de Cristo também é celebrada pelos ortodoxos. Procissões são realizadas durante a Semana Santa e o jejum começa na segunda-feira e termina no domingo.

O feriado central do ritual judeu, Pessach (Páscoa judaica) comemora a fuga do povo judeu da escravidão para fora do Egito, ou seja, a passagem do cativeiro para a liberdade. Pessach significa passagem.

Tradições no mundo

Na França

Diz-se que os sinos das igrejas do país ficam em silêncio entre quinta-feira e sábado da Semana Santa, porque vão a Roma para serem abençoados. Quando retornam no sábado à noite, deixam cair ovos, galinhas e guloseimas de chocolate para boas crianças. O prato tradicional do domingo de Páscoa é o cordeiro, que é comido em torno de uma mesa familiar.

Na Itália

A "colomba", um panetone em forma de pomba, é o símbolo da Páscoa italiana. O cordeiro também é comido aos domingos, enquanto as famílias aproveitam o feriado de segunda-feira para ir a um piquenique.

Na Espanha

Em muitas cidades espanholas, especialmente na Andaluzia, as confrarias organizam procissões e espetáculos teatrais que dão vida ao Caminho da Cruz de Cristo.

Cada procissão é formada por vários carros alegóricos ricamente decorados com estátuas que percorrem as ruas da cidade, retratando a Paixão de Cristo. Os fiéis desfilam em túnicas compridas e com toucas cônicas. O festival mais famoso é a Semana Santa em Sevilha.

Keystone / Alastair Grant

Na Inglaterra

Rolar ovos de Páscoa é uma tradição que encanta as crianças. Embora o ritual varie um pouco de região para região, ele geralmente consiste em rolar ovos cozidos e decorados do alto de uma colina.

Esta tradição é anterior à chegada do cristianismo e diz-se que sobreviveu graças ao Papa Gregório o Grande, que ordenou a seus missionários que usassem rituais pagãos e os assimilassem aos cristãos sempre que possível.

Na Alemanha

A Páscoa começa na quinta-feira santa, conhecida como "Gründonnerstag" (Quinta-feira Verde). Neste dia, é costume comer apenas alimentos verdes. O prato mais comum é a sopa de sete erva. Ela é composta de agriões, dentes-de-leão, cebolinha, salsa, alho-poró, azedinha e espinafre.

Os alemães também decoram suas árvores com ovos coloridos. Estas "Osterstrauch" (árvores da Páscoa) anunciam a chegada da primavera.

As crianças fazem pequenos ninhos de palha e os escondem em suas casas na esperança de que o coelho da Páscoa ou a lebre da Páscoa venha e os encha de ovos durante a noite. Dependendo da região, o coelho é às vezes substituído por uma galinha, um galo ou até mesmo uma raposa.

Keystone / Martin Schutt

Na Finlândia

Os finlandeses acreditam que os espíritos maus assombram o sábado antes da Páscoa, por isso acendem fogueiras para afastá-los. As crianças se fantasiam de bruxas e gênios malvados e batem nas portas com galhos. Elas dirão uma fórmula "mágica" para trazer saúde à sua casa, desde que você tenha ovos de chocolate ou outros doces para dar, é claro.

Na Polônia

A segunda-feira de Páscoa, conhecida como "smigus-dyngus" (segunda-feira molhada), é a ocasião para fazer uma batalha de água. As explicações para o simbolismo da água são ligeiramente diferentes. Para alguns, seu papel era o de lavar os pecados. Para outros, a água tinha a virtude de curar doenças e promover a fertilidade, razão pela qual as mulheres dos vilarejos eram regadas (com água fria!).

Com o advento do cristianismo, as pessoas começaram a borrifar água benta nos campos no início da manhã. Esta tradição ainda é praticada no sul da Polônia.

Na Rússia

Cada pessoa é saudada pela troca de ovos decorados e três beijos. Durante a refeição, e mais precisamente durante a sobremesa, come-se um bolo com queijo branco e frutas cristalizadas e perfumadas com açafrão. Este bolo, chamado kulish, é levado à igreja para ser abençoado pelo padre antes de ser comido.

Outra tradição é visitar os túmulos de seus entes queridos e comer ovos cozidos. Também é costume deixar alguns ovos para trás para apaziguar o espírito dos mortos.

Keystone / Yuri Kochetkov

Adaptação: Fernando Hirschy

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.