Navigation

Suíça é um dos países que mais respeitas os direitos infantis

O país obteve alta pontuação em algumas categorias na avaliação, mas perdeu pontos no direito à educação. Keystone/Ennio Leanza

Suíça fica em segundo lugar na avaliação de como os países aplicam a Convenção sobre os Direitos da Criança.

Este conteúdo foi publicado em 03. junho 2021 - 15:09
swissinfo.ch/gw

A Islândia encabeça a pesquisa anual publicada na quinta-feira pela KidsRightsLink externo, uma ong holandesa. A Finlândia vem em terceiro lugar. No final da lista estão : Chade, Afeganistão e Serra Leoa.

A Suíça ficou em primeiro lugar em uma das cinco categorias: o direito à proteção. Em quinto, no direito à vida. Mas os resultados foram piores no quesito: direito à educação (16°) e à saúde (20°-21°).

A pandemia também causa danos à juventudo. Há o risco de uma "catástrofe" se os governos não agirem, adverte a KidsRights. Mais de 168 milhões de crianças não tiveram acesso à educação devido a restrições impostas pelos governos para combater a pandemia. Uma em cada três crianças não tem acesso à educação à distância.

Outras 142 milhões de crianças sofreram privação material após o impacto negativo da pandemia na economia. Também houve um "aumento sem precedentes" na violência doméstica, da qual as crianças são freqüentemente vítimas, acrescentou a ong holandesa.

KidsRights publica o índice anual, o único de seu tipo que mede o respeito aos direitos das crianças pelos signatários da convenção internacional. A pesquisa, realizada com ajuda da Universidade Erasmus de Rotterdam, avaliou a situação em 182 países.

A Suíça ratificou a convenção em 1997, oito anos após sua adoção pela ONU.

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.