Navigation

Sistema suíço de aprendizagem: a história revela segredo para o sucesso

Os jovens em seus locais de trabalho, 50 anos atrás e agora Nici Jost

O sistema de aprendizagem da Suíça é a razão pela qual há baixo desemprego entre os jovens. Uma olhada nos arquivos de uma empresa mostra como a formação profissionalizante moderna na Suíça se estabeleceu - e o quanto mudou ao longo dos anos. 

Este conteúdo foi publicado em 14. janeiro 2021 - 15:30

Com um cronograma rigoroso, uma forte ética de trabalho e uma cultura corporativa - é assim que os aprendizes, pessoas em formação profissionalizante, costumavam ser na empresa de engenharia elétrica Brown, Boveri & Cie (BBC), pioneira do famoso sistema de aprendizagem dual da Suíça, que une trabalho na empresa e ensino na escola. 

“Não tínhamos um sistema de registro de horas na época, mas horários fixos”, lembra o aposentado Urs, ex-trainee da BBC. “Todas as manhãs você tinha que passar pelo porteiro, se você chegasse na hora, estava tudo bem. Mas se você se atrasasse, o porteiro notaria imediatamente e ligaria para o seu instrutor de treinamento. Isso foi bastante difícil, pois o instrutor também era meu pai! ” 

Urs é apenas uma das vozes que podem ser ouvidas na exposição “Educação -Link externo um salto no tempo”, que está em cartaz no Museu Histórico de BadenLink externo, no noroeste da Suíça. O trabalhador analisa as carreiras e a educação nos últimos 100 anos, usando a história dos estágios da BBC como um ponto de partida. 

A empresa sediada em Baden, que mais tarde se fundiu com outras empresas para se tornar a multinacional ABBLink externo , foi pioneira no desenvolvimento do chamado treinamento de aprendizagem –  um modelo formação profissionalizante que une trabalho e estudos aplicados -  na Suíça. “Eles foram os primeiros a ter o treinamento prático e a teoria em um só lugar na empresa”, disse a diretora do museu, Carol Nater Cartier, à swissinfo.ch. 

A BBC, fundada em 1891, cresceu rapidamente, assim como o número de seus estagiários. Em 1918, a empresa decidiu fundar sua própria ‘escola de fábrica’ no local, oferecendo uma teoria sintonizada com as habilidades práticas exigidas. Essa foi a primeira estrutura do tipo, já que antes os aprendizes haviam frequentado escolas com formações mais gerais, como a escola municipal de artesãos em Baden. 

Mais tarde, na década de 1970, a ABB criou uma escola técnica, a primeira instituição de ensino profissionalizante desse tipo na Suíça. 

Abordagem dupla 

Essa abordagem dupla - combinando a teoria e a prática - forma a espinha dorsal do esquema de formação profissionalizante atual na Suíça, uma rota seguida por dois terços dos alunos que finalizam a formação escolar básica.   

O sistema, que foi apelidado de “padrão ouro” na formação profissional internacional, é também uma razão pela qual há baixo desemprego entre os jovens. 

“O treinamento da BBC foi muito popular, todos queriam ir para lá”, acrescentou Nater Cartier. “Foi também um investimento para a empresa, pois os aprendizes ficaram lá a vida toda depois.” 

Vida de aprendizagem 

A programação de um trainee era bem organizada. Começava às 6h15 da manhã - em ponto, como sabemos por Urs - e terminava às 18h. Os aprendizes também trabalhavam nas manhãs de sábado. A tabela de horários na galeria de fotos do Arquivo Histórico da ABB abaixo (foto 9) mostra a programação de um teste de admissão de para estágios de aprendizagem de 1948. A avaliação começava as 6h50 da manhã com 20 minutos de esporte (a inclusão do esporte foi outro esforço pioneiro), e incluía pequenas provas práticas de habilidades, como limar e usar um martelo. 

“Os aprendizes tinham que ser muito precisos, a disciplina era importante e eles tinham que ser proativos e mostrar bom comportamento”, explicou Nater Cartier. “Não se tratava apenas de habilidades para o trabalho, mas de aprender tudo em torno dele, para ter um bom trabalho e etos de vida.” 

Mas também havia tempo para diversão. A empresa também ofereceu atividades de lazer como esportes extras e outros artesanatos. A banda de música dos aprendizes da BBC (a última foto) era muito popular. 

“Era como uma grande família na BBC, o que fortaleceu a identificação com a empresa”, disse Nater Cartier. Amizades para a vida inteira foram formadas e casamentos feitos, pois embora fosse uma empresa dominada por homens, as mulheres faziam estágios em áreas como secretaria (foto 11), mas também como técnicas de laboratório.

Aprendizado de assistente de laboratório 1981-1984 Helen Dietsche, (private collection)

E hoje? 

A exposição também dá um salto no tempo até os dias atuais. Mostra que embora muita coisa tenha mudado, por exemplo nos tipos de estágios feitos devido à digitalização e avanços técnicos (antes eram populares as carreiras de montadores de máquinas e desenhistas técnicos, agora fazem sucesso os trabalhos de politécnico e cientista da computação), ainda existem algumas semelhanças. 

Os aprendizes ainda precisam seguir um programa estruturado, aprender habilidades de comunicação e convivência e, como mostra a imagem principal da nossa história, algumas das disciplinas aprendidas antes e agora parecem bastante semelhantes. 

O que mudou é que os aprendizes da ABB não aprendem mais tudo no local. A maioria dos aprendizados suíços modernos envolve treinamento prático e teoria em uma escola profissionalizante. Mas na ABB, os aprendizes técnicos vão para o centro Industrial Vocational Training Switzerland em Baden (LIBS Industrielle Berufslehren Schweiz), que oferece treinamento para a indústria de engenharia mecânica e elétrica, para a oficina prática e parte de habilidades. O centro de treinamento ainda ocupa as instalações da antiga escola fabril da BBC. 

E, claro, não há mais porteiro verificando os trainees - os aprendizes agora podem preencher suas horas de trabalho no computador. 

A exposição 

A exposição “Educação - um salto em tempo” (Zeitsprung Bildung: BBC-Werkschule, Lehre Traumberuf), que está em alemão e inglês, está em exibição no Museu Histórico de Baden até 31 de julho de 2021). É parte de um projeto do cantão Aargau sobre “a indústria - um salto no tempoLink externo ”. Devido ao COVID-19, o museu estará fechado até 22 de janeiro de 2021. 

A primeira parte da tela confronta o visitante com perguntas sobre sonhos de carreira e uma retrospectiva das escolhas. Ele também mostra como era a vida de um aprendiz da BBC por meio de texto, imagens, objetos, vídeo e áudio. 

Também há uma exposição paralela na Escola Profissional BBB Baden. 

End of insertion

Adaptação: Clarissa Levy

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.