Navigation

Política suíça

Plebiscito de 26 de setembro de 2021

Dois plebiscitos federais em 26 de setembro de 2021: os eleitores decidem sobre abertura do casamento para casais do mesmo sexo e a tributação de contribuintes de patrimônio elevado, uma proposta da Juventude Socialista.

Este conteúdo foi publicado em 16. setembro 2021 - 11:42
Corinna Staffe (Ilustração)

Caso aprovada, a emenda ao Código Civil permite o casamento oficial entre duas mulheres ou dois homens, o que na maioria dos países da Europa Ocidental já é possível.

As últimas pequisas de opinião realizadas pela Sociedade Suíça de Radiodifusão e Televisão (SRG SSR) indicaram que os eleitores tendem apoiar a proposta. O artigo abaixo mostra que já há muito tempo o país é criticado pela falta de progresso nas questões LGBTQ+.

A possibilidade de acesso à reprodução medicamente assistida a casais de lésbicas é particularmente perturbadora para os grupos que se opõem ao casamento para todos. Alguns chegam a considerar que as crianças geradas nesses matrimônios possam sofrer danos. 

Por outro lado, o campo do "sim" acredita defendem: chegou a hora de garantir a igualdade de direitos para casais de homossexuais e melhorar a proteção legal às milhares de famílias homoparentais que existem hoje na Suíça.

Estrangeiros como o brasileiro Jafles Pacheco mostram que a Suíça é um país considerado liberal e seguro para homossexuais e lésbicas. Casado com um alemão, o bem-sucedido funcionário de uma multinacional conta à  à SWI swissinfo.ch, contou como se integrou no país e até ajuda outros LGBTs ao lançar uma cartilha em português com dicas e informações. 

A comunidade LGBTIQ luta pelo direito de se casar há mais de 40 anos. Na página foco abaixo, reunimos artigos sobre a questão, tratando de temas como a inclusão, homofobia ou transgêneros.

A introdução do casamento para todos pode acabar com uma discriminação sofridas por lésbicas que perdem suas parceiras. As regras atuais restringem o acesso à previdência básica (AHV, na sigla em alemão) para o grupo. 

Proposta para combater as desigualdades

Em 26 de setembro, os eleitores votam também a chamada "Iniciativa 99%", uma proposta de mudança constitucional lançada pelos Jovens Socialistas, o grupo jovem do Partido Socialdemocrata suíço. Ela visa aumentar o imposto sobre as receitas de capital a nível nacional e cantonal - ou seja, dividendos, ações, juros sobre o patrimônio e rendas. O aumento proposto é calculado em um fator de 1.5 em comparação com o imposto de renda normal.

Os opositores argumentam que a iniciativa pode prejudicar a economia e a competitividade da Suíça e que, de fato, não ajuda a melhor redistribuir as riqueza do país. Também apontam os riscos de que sua aprovação tenham um forte impacto financeiro para o contribuinte.

O fosso entre ricos e pobres também é estudado por um brasileiro, professor de Economia na Universidade de Zurique, que utiliza a tecnologia de ponta para combater a perpetuação dos ciclos de pobreza em países como o Malawi. 

Os defensores da "Iniciativa 99%" afirmam que esta permitiria reduzir as desigualdades sociais no país, pois uma maior taxação dos ricos beneficiaria a maior parte da população.

Adaptação: Alexander Thoele

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.