Navigation

Ministério da Saúde visa imigrantes para relançar vacinação

Vacinas prontas em um centro de vacinação em Giubiasco, no cantão do Ticino. Keystone / Alessandro Crinari

As autoridades sanitárias suíças querem incentivar mais imigrantes e jovens a serem vacinados contra a Covid-19, diz o jornal SonntagsBlick.

Este conteúdo foi publicado em 12. julho 2021 - 16:24
swissinfo.ch/fh

A iniciativa vem na medida em que as taxas de vacinação param em todo o país, apesar de haver muitas vacinas disponíveis.

Na semana passada, cerca de 60.000 vacinas por dia estavam sendo administradas; no ponto alto da campanha foram mais de 90.000, diz o jornal. A meta é imunizar 75-80% da população.

Os números hospitalares do cantão de St GallenLink externo publicados em 8 de julho mostram que as pessoas de origem migrante foram mais afetadas pelo coronavírus: os estrangeiros representavam 38,6% dos pacientes de terapia intensiva (eles constituem 24% da população cantonal). Possíveis razões: alguns imigrantes trabalham em empregos que não permitem trabalhar de casa e a falta de acesso à informação sobre o vírus, disse o jornal suíço.

Thomas Steffen, médico cantonal da cidade de Basileia, disse ao jornal que a falta de informação (para onde ir e quem paga) também foi um fator de adesão à vacinação entre alguns grupos da população estrangeira.

Fase crucial

O Ministério da Saúde suíço diz que a fase atual da campanha de vacinação é crucial.

Adrian Kammer, chefe de campanhas do ministério, disse ao SonntagsBlick: "Precisamos aumentar a conscientização dos jovens adultos, em particular, que agora é um bom momento para se vacinar".

O Ministério da Saúde já disse anteriormente que as mulheres, os jovens e as pessoas das áreas rurais têm menos probabilidade de serem vacinados.

Kammer disse que a mídia social é um canal importante para alcançar a população estrangeira, em particular. "As organizações de migração estão intensificando a campanha do ministérioLink externo em suas páginas do Facebook e os cantões estão enviando informações sobre vacinação através dos grupos de WhatsApp", disse ao SonntagsBlick. Além disso, informações sobre vacinas e medidas de higiene foram traduzidas em mais de 20 idiomas.  

O Ministério da Saúde também tem trabalhado com canais de televisão, como a Diaspora TV (que tem programas em oito idiomas), e outros meios de comunicação para divulgar informações sobre as vacinas. De acordo com um artigo no Der BundLink externo de sábado, um objetivo será desmascarar alguns dos rumores e notícias falsas sobre os efeitos colaterais da vacina.

O cantão de Berna também está planejando uma campanha voltada para grupos da população estrangeira, informou recentemente o site nau.chLink externo.

Melhoria do acesso

O acesso às vacinas para os imigrantes também deve ser melhorado, disse Andrea Feller, chefe adjunta do departamento de saúde da Cruz Vermelha SuíçaLink externo.

"Testes de usuários têm mostrado que muitos imigrantes que não conhecem bem o idioma local têm dificuldade para se registrar para a vacinação. O procedimento é muito complicado", disse ela ao SonntagsBlick. Os centros móveis de vacinação e as consultas para a entrada ajudariam a resolver o problema", disse ela.

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.