Navigation

Hackers ameaçam empresas e hospitais suíços

O cibercrime é um fenômeno crescente na Suíça, como em outras partes do mundo. Keystone / A4796/_silas Stein

Um grupo, que invadiu o banco de dados de um vilarejo suíço e publicou informações confidenciais na "darknet", ameaça atacar outros governos locais, empresas e hospitais.

Este conteúdo foi publicado em 07. setembro 2021 - 11:29
swissinfo.ch/mga

O jornal suíço Le Temps noticiou na segunda-feira (06.09) que havia feito contato com os hackers auto-intitulados "Vice Society".

Em maio, o grupo obteve informações, incluindo contas de e-mail, senhas e logins,  de Rolle, um vilarejo ao sudoeste da Suíça. Milhares de arquivos foram postados na darknet, uma parte secreta da internet frequentemente utilizada por criminosos quando pedidos de resgate por dados roubados são rejeitados.

A Vice Society disse ao jornal que continuaria a atacar qualquer alvo que mostrasse vulnerabilidades. "Se tivermos acesso a outras cidades suíças, elas também serão atacadas. Não nos importa se é um negócio, um hospital, uma cidade", escreveram os hackers em sua mensgem.

Os hackers consideram que o problema é das autoridades de Rolle se as informações foram divulgadas na darknet. "Fazemos download de dados de todas as empresas que hackeamos. Se os dados ou a empresa forem interessantes, nós publicamos". As declarações foram enviadas à emissora pública suíça RTS.

O governo de Rolle apresentou abriu um processo criminal depois de ter solicitado a ajuda da polícia cantonal e das autoridades federais especializadas em crimes cibernéticos. A prefeitura do vilarejo afirmou que a rede foi checada após o ataque, assim como os dados vasados .

Como em outros países, o crime cibernético também cresce na Suíça. Empresas como a construtora de trens Stadler Rail, o fabricante de sistemas de defesa Ruag e o site de comparação de preços Comparis foram algumas das vítimas recentes.

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.