Navigation

Governo pede que suíços se testem após as férias

Grandes filas de viajantes no aeroporto de Zurique no início de julho. Keystone / Walter Bieri

O Departamento Federal de Saúde Pública (BAG, na sigla em alemão) exorta os suíços a se submeterem a um teste de coronavírus após as férias, com exceção dos vacinados ou reconvalescestes recentes do COVID-19, e lança a campanha "Mesmo sem sintomas, faça o teste após as férias".

Este conteúdo foi publicado em 04. agosto 2021 - 11:45
Keystone-SDA/dos

"Não é possível avaliar a evolução da situação", declarou Virginie Masserey, chefe da seção de controle de infecções no BAG. O número de novas infecções aumentou no início de julho, mas a taxa diminuiu nas últimas duas semanas.

Na Suíça foram registrados na terça-feira (03.08) 1.059 novos casos de Covid-19 em 24 horas, 53 hospitalizações e nenhuma morte. Nos últimos 14 dias, o número total de infecções foi de 10.155 - ou 11.747 novas infecções por 100 mil habitantes. Uma taxa de positividade de sete por cento para testes PCR e 1,4% para testes de antígenos.

Baixo nível de hospitalizações

Observamos que o número de hospitalizações também estão aumenta, apesar de continuarem em um nível baixo", disse Masserey, atribuindo o desenvolvimento a vários fatores, dentre elas flexibilização das restrições no final de junho, o que permitiu reuniões de massa e viagens para assistir jogos de futebol da Eurocopa, por exemplo. Além disso, a variante "Delta", mais contagiosa, está se disseminando cada vez mais no país.

A cobertura vacinal entre as pessoas vulneráveis é alta. "Este elemento desempenha seguramente um papel no baixo nível de hospitalizações em comparação com o número de infecções, inclusive nas ondas anteriores". Outro fator é que as infecções ocorrem agora principalmente entre os jovens.

A desaceleração das últimas duas semanas ainda é difícil de explicar, ressaltou Masserey. Uma probabilidade seria a sazonalidade do vírus (menos eficaz no verão do que no inverno), a cobertura vacinal e a reação da população. "Adquirimos o hábito de adaptar nosso comportamento quando as infecções aumentam novamente", declarou.

O número de doses administradas na Suíça excedeu nove milhões (9.046.281). No total, 48,3% da população está totalmente vacinada e 54,4% receberam pelo menos uma dose. Isto significa que 66% dos adultos receberam pelo menos uma dose e 59% receberam duas doses.

As autoridades registraram uma desaceleração na vacinação desde o início do verão. Somente a população idosa tem quase 80% de cobertura. Masserey indicou que qualquer um que queira ser vacinado poderia fazê-lo. A Suíça continua recebendo vacinas: 1,5 milhões de doses em julho e 1,5 milhões em agosto.

Retomada no início do ano letivo

"Não queremos acumular estoques", disse. Reduziremos os pedidos se as vacinas não continuarem, para que outros países possam se beneficiar delas. Entretanto, o BAG espera que a vacinação seja retomada no final do período de férias de verão.

"As autoridades cantonais trabalham duro para reforçar a vacinação", enfatizou. Com a variante Delta, é especialmente importante o maior número de pessoas estar vacinado antes do outono.

"Ainda há muita gente não imune no país, o que pode causar uma sobrecarga nos hospitais. Seguramente o vírus se tornará endêmico, assim como outros vírus sazonais. A vacinação ainda é uma forma mais segura de imunização do que a infecção. O risco de complicações com a doença é cerca de mil vezes maior do que o risco de complicações com a vacina."

A proteção da vacina contra a variante Delta permanece boa, embora mais fraca. Entretanto, a carga viral permanece a mesma com a variante Delta: o risco de transmissão neste caso é semelhante entre uma pessoa vacinada e uma não vacinada.

Portanto, as pessoas vacinadas devem seguir as mesmas regras que as pessoas não vacinadas em espaços públicos fechados (distanciamento e uso de máscaras). As pessoas vacinadas também devem ser testadas em caso de sintomas e, se necessário, isoladas.

Combater rumores

Quanto a possíveis vacinas de reforço, estas ainda estão em estudo: "Ainda não está claro quando e como esta medida serão tomadas", afirmou Masserey. "Mas se for necessário, estamos preparados".

O funcionário do BAG enfatizou que cabe a todos assumir a responsabilidade e tomar as decisões corretas, para si mesmos e sua comunidade. A responsabilidade das autoridades é proteger as pessoas e crianças vulneráveis que não podem ser vacinadas. Portanto, são necessários testes regulares dos trabalhadores do setor da saúde e professores para evitar surtos e o fechamento de escolas.

O BAG respeita a liberdade de escolha na vacinação. No entanto, pede à população que decida com base em informações corretas e não em rumores.

Adaptação: Alexander Thoele

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.