Navigation

FMI elogia Suíça por ter superado crise da Covid-19

Uma vista do lago de Lucerna. Restaurantes e cafés puderam colocar mesas e cadeiras do lado de fora em 19 de abril de 2021. Keystone / Alexandra Wey

O Fundo Monetário Internacional (FMI) diz que a Suíça tem conseguido lidar bem com a pandemia do coronavírus a partir de uma perspectiva financeira. Em seu último relatório sobre o país, o FMI elogiou as medidas suíças de apoio à Covid e a política monetária.

Este conteúdo foi publicado em 22. junho 2021 - 09:30
swissinfo.ch/fh

"A Suíça tem navegado bem na pandemia. A Covid-19 tem tido grandes impactos sociais e econômicos, mas uma resposta precoce, forte e sustentada de política econômica e de saúde ajudou a conter a contração da atividade", disse o FMI em um comunicado na segunda-feira.

A economia suíça sofreu uma retração de 3% em 2020, menos do que a maioria dos outros países europeus ricos. O FMI diz esperar que o crescimento suíço atinja 3,5% em 2021 e 2,8% em 2022. Essas estimativas estão de acordo com as previsões do banco central suíço.

De acordo com o FMI, o impacto econômico da pandemia foi reduzido graças a "fortes amortecedores fiscais, financeiros e domésticos pré-pandêmicos, exportações robustas (produtos farmacêuticos, químicos e ouro), baixa dependência dos setores de contato, um sistema de saúde adequado e contenção direcionada".

Os esforços coordenados voltados para famílias e empresas reduziram uma perda de poder aquisitivo e um aumento do desemprego e das falências, disse.

O FMI espera que a taxa de desemprego na Suíça aumente para 3,5% no ano corrente, antes de cair ligeiramente para 3,4% em 2022. O fundo monetário prevê também uma inflação modesta.

O FMI disse que os riscos econômicos potenciais vêm de "impactos posteriores da Covid-19, comportamento de busca de rendimento, desequilíbrios no mercado imobiliário e uma recuperação global desigual".

Os desafios pós-pandêmicos incluem "limitar as cicatrizes" - especialmente entre os grupos e trabalhadores vulneráveis, sustentar a competitividade, enfrentar as lacunas do sistema de pensões e lidar com a mudança climática, disse o FMI.

Em seu relatório, o FMI também encorajou a Suíça e a União Europeia a "se engajarem construtivamente" em um acordo de estrutura institucional para regular os laços de longo prazo "para evitar impactos negativos ao longo do tempo".

Uma equipe de quatro pessoas do FMI realizou a revisão da política econômica e financeira suíça na primavera como parte de um processo de consulta anual. Um relatório final foi publicado em 21 de junho.

A equipe conversou com especialistas da administração federal, do banco central suíço (BNS), o órgão de fiscalização financeira suíço (FINMA), autoridades cantonais e o setor privado. Também manteve conversações com o Ministro das Finanças Ueli Maurer, o Presidente do BNS Thomas Jordan e o CEO da FINMA Mark Branson.

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.