Navigation

FIFA recebe 200 milhões de dólares dos EUA

Os recursos que foram desviados serão agora investidos em projetos para juventude. Keystone / Ahmed Jallanzo

A FIFA, que reúne 211 organizações representando o futebol no mundo, recebe 200 milhões de dólares dos Estados Unidos como indenização por atos de corrupção cometidos por funcionários e executivos da federação. 

Este conteúdo foi publicado em 25. agosto 2021 - 11:45
swissinfo.ch/mga

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos concordou em depositar a quantia para o recém-criado Fundo Mundial de Remissão do Futebol. O fundo foi criado pela FIFALink externo, a federação mundial do futebol sediada em Zurique, na Suíça, para reinvestir o dinheiro no esporte, "especialmente através de programas juvenis e comunitários".

"As regras do fundo prevêem medidas de supervisão e auditoria independente para assegurar que a soma seja partilhada adequadamente", declarou o porta-voz do Depto. de Justiça dos EUALink externo.

O dinheiro faz parte de uma remessa apreendida pelas autoridades americanas no contexto de processos criminais contra esquemas de propinas envolvendo a concessão de direitos de marketing e de mídia para os principais campeonatos de futebol.

A investigação, iniciada em 2015, teve foco especial na Américas do Sul, Central e do Norte e no Caribe. As associações de futebol dessas regiões também fizeram parte do acordo das autoridades americanas para liberar os fundos.

Os reembolsos vão para a FIFA, o órgão regulador do esporte; CONCACAF, a organização que supervisiona o futebol na América do Norte e Central e no Caribe; e a CONMEBOL, que regulamenta o esporte na América do Sul. Os ex-líderes dessas organizações, bem como os de associações nacionais de futebol em toda a América, foram envolvidos no escândalo em detalhes coloridos. Desde 2015, mais de 50 pessoas e empresas foram indiciadas no caso, e dezenas se declararam culpados.

"Estou muito feliz em ver que o dinheiro que foi ilegalmente desviado do futebol volta agora a ser usado para seus próprios fins, como deveria ter sido em primeiro lugar", afirma o presidente da FIFALink externo, Gianni Infantino.

"Temos sido capazes de mudar fundamentalmente a FIFA em um um órgão de governo esportivo global altamente estimado e confiável".

O governo dos EUA acrescentou que suas investigações sobre corrupção no futebol continuam.

Artigos citados

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.