Navigation

Especialistas suíços minimizam risco de variante indiana

A propagação da variante Delta atrasou a flexibilização das restrições no Reino Unido, mas os especialistas suíços não estão preocupados com isso por enquanto. Keystone / Andy Rain

A Suíça está bem preparada para a variante Delta da Covid-19 e não há motivo para preocupação especial no momento, diz Christoph Berger, chefe da Comissão Federal de Vacinas.

Este conteúdo foi publicado em 21. junho 2021 - 09:30
swissinfo.ch/fh

Em uma entrevista ao jornal NZZ am Sonntag, ele reconheceu que a variante indiana, também chamada de Delta pela OMS, é mais contagiosa que outras, mas disse que as pessoas vacinadas duas vezes com uma vacina mRNA, as únicas administradas na Suíça, estão quase 90% protegidas.

Berger também enfatizou que a situação era diferente na Suíça e no Reino Unido, por exemplo, onde a cepa Delta do vírus atrasou os planos de relaxamento das restrições. As autoridades britânicas vacinaram muitas pessoas o mais rápido possível com uma dose, o que provavelmente foi a coisa certa a fazer na época, disse ele, mas hoje é preciso proteção com duas doses.

Berger disse ao jornal que as vacinas Moderna e Pfizer/BioNTech utilizadas na Suíça também se mostraram muito mais eficazes contra a nova variante do que outras vacinas, como a AstraZeneca, que é amplamente utilizada no Reino Unido.

Melhorando a situação

A variante indiana tornou-se dominante em alguns países, mas atualmente representa apenas 2% dos casos positivos na Suíça. Virginie Masserey, responsável pelo controle de infecções do Ministério da Saúde, disse à emissora suíça RTS no domingo que a propagação da variante deve ser retardada durante o tempo necessário para vacinar a população.

Mas ela disse que a situação do coronavírus no país alpino tem sido mais tranquilizadora nas últimas semanas. "Atualmente, as variantes que conhecemos são cerca de 50% mais contagiosas, o que as torna talvez um pouco mais difíceis de controlar", disse Masserey à RTS. " A verdadeira marca de preocupação é a taxa de hospitalização e de ocupação da UTI. Por enquanto, a situação é calma nessa frente".

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.