Navigation

Empresa portuguesa de transporte viola novamente proibição na Suíça

O veículo foi detido na autoestrada A1 enquanto transportava passageiros portugueses do aeroporto de Genebra para a região de Zermatt, no cantão do Valais. Keystone / Laurent Gillieron

Uma empresa portuguesa de vans violou a proibição de transporte de pessoas na Suíça pela segunda vez em três anos.

Este conteúdo foi publicado em 16. julho 2021 - 07:45
swissinfo.ch com agências awp/sda

Um motorista da empresa foi interceptado na autoestrada A1 no cantão de Vaud (região oeste), em 4 de julho, enquanto transportava passageiros entre o aeroporto de Genebra e a região de Zermatt, no cantão do Valais, onde muitos portugueses trabalham na hotelaria e gastronomia.

O veículo com matrícula portuguesa e seus passageiros foram controlados por uma patrulha móvel da polícia em uma área de repouso na autoestrada, anunciou na quinta-feira a Administração Federal de Alfândega.

O motorista não tinha pago direitos alfandegários sobre o veículo ao entrar na Suíça. O veículo foi apreendido como garantia para o pagamento dos valores devidos. Além disso, uma multa pode ser imposta, de acordo com a administração aduaneira.

Os passageiros tiveram que descer na alfândega de Chavannes-de-Bogis, no cantão de Vaud, e continuar sua viagem com outra empresa de viagens.

A empresa portuguesa de transporte de passageiros já havia sido interceptada em 2018 no cantão de Obwalden, na região central do país, durante um transporte entre o aeroporto de Zurique e Lucerna por delitos semelhantes.

A empresa recorreu das obrigações alfandegárias e do IVA, mas o Tribunal Federal, a mais alta instância judicial, indeferiu o pedido em 2020. A empresa ainda deve à Suíça dezenas de milhares de francos, disse a Administração Federal de Alfândega.

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.