Navigation

Coronel quer que suíças façam serviço militar obrigatório

O serviço militar atrai poucas mulheres na Suíça. Keystone / Urs Flueeler

A Suíça deveria tornar o serviço militar obrigatório para as mulheres, na opinião do presidente da Associação dos Oficiais Suíços , que tem cerca de 22.000 membros.

Este conteúdo foi publicado em 19. julho 2021 - 08:45
swissinfo.ch/fh

Segundo Stefan Holenstein, "é hora de que ambos os sexos tenham os mesmos direitos e deveres no serviço militar".

Seus comentários foram publicados no domingo no semanário suíço em língua alemã NZZ am Sonntag.

A associação dos oficiais é independente do governo suíço e serve como organização coordenadora para as associações regionais de oficiais militares da Suíça.

"Estamos convencidos de que o exército não pode mais prescindir de mais de 50% do potencial da sociedade", continuou Holenstein.

Todos os homens suíços são convocados para o serviço militar a partir dos 19 anos de idade. Se declarados aptos para o serviço militar - como em média dois terços dos recrutas são - a única saída é optar pelo serviço comunitário civil por razões éticas. 

O serviço militar é opcional para as mulheres. Atualmente, elas representam menos de 1% das pessoas que prestam serviço militar no exército suíço. O presidente da Associação dos Oficiais Suíços diz que uma mudança na cultura está entre as coisas necessárias para atrair mais recrutas femininas e aumentar as fileiras militares.

Para resolver o problema, o Ministério da Defesa da Suíça está estudando quatro possíveis modelos de serviço obrigatório, três deles prevêem o serviço obrigatório para as mulheres.

A associação baseada em Genebra "Service Citoyen" planeja lançar uma iniciativa cidadã em 1º de agosto para tornar o serviço militar ou civil obrigatório para homens e mulheres.

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.