Navigation

Boletim: Coronavírus na Suíça

Mesa de escritório não utilizada em uma empresa. Muitas solicitaram aos funcionários que permaneçam em casa durante a pandemia. Gaetan Bally/Keystone

O surto da variante ômicron causa escassez de pessoal na Suíça. Para evitar a paralisia, o governo decidiu reduzir o período de quarentena.

Este conteúdo foi publicado em 17. janeiro 2022 - 09:57
  • A Depto. Federal de Saúde Pública (BAGLink externo, na sigla em alemão) registrou 32.150 novos casos de Covid-19 na sexta-feira. 

  • A média de 7 dias é 13% maior do que na semana anterior. 1.770 pessoas estão hospitalizadas (- 1%), 262 em tratamento em UTIs (-10%) e 20 faleceram nos últimos dias.

  • O ministro suíço do Interior, Alain Berset, anunciou uma nova campanha federal para a vacinação com doses de reforço na sexta-feira, 14 de janeiro de 2022.

  • As autoridades reduziram o período de quarentena em casos de Covid para cinco dias a partir de 13 de janeiro. Para poder terminar o isolamento, uma pessoa ainda deve estar sem sintomas por 48 horas.

  • As pessoas que receberam sua última dose de vacinação há menos de quatro meses ou que se recuperaram há menos de quatro meses estão geralmente isentas da quarentena.

  • O governo federal propõe prolongar as medidas para controlar a pandemia, dentre elas a regra 2G e a obrigação de trabalho à distância até 31 de março. 

  • O governo também quer reduzir o período de validade de todos os certificados de vacinação e recuperação de 365 para 270 dias, o que permite que o certificado continue sendo reconhecido nos países da União Europeia.

  • O governo se reserva a opção de introduzir um lockdown parcial caso a situação nos hospitais se deteriore rapidamente.

  • O portal "TravelcheckLink externo" informa turistas sobre as condições mais recentes para entrar no território nacional. 
Conteúdo externo

Medidas em vigor

Em 3 de dezembro, a Suíça anunciou novas medidas que são válidas até 24 de janeiro de 2022. O objetivo é tentar reduzir os casos em meio à quinta "onda" da pandemia. O ministro suíço da Saúde, Alain Berset, anunciou em entrevista que os estabelecimentos poderão restringir o acesso às áreas internas às pessoas que foram vacinadas ou recuperadas do Covid. 

swissinfo.ch

O uso do certificado será obrigatório a partir de 6 de dezembro para o acesso às áreas internas de todos os eventos públicos e participação em atividades esportivas e culturais de grupos não-profissionais dentro de casa. Em outras palavras, a atual isenção para grupos de menos de 30 pessoas não vale mais.  Além disso, o certificado se torna obrigatório para eventos ao ar livre com mais de 300 pessoas. (Até agora, o limite era de mil participantes).

Para reuniões familiares ou de amigos de mais de 10 pessoas, o certificado é fortemente recomendado.

Estabelecimentos, como discotecas, podem limitar o acesso somente a pessoas vacinadas ou recuperadas.

Dados atualizados completos sobre o desenvolvimento da pandemia na Suíça podem ser encontrados AQUI ou no sumário das informações abaixo.

Conteúdo externo
Conteúdo externo
Conteúdo externo
Conteúdo externo
As diferentes vacinas aplicadas na Suíça. swissinfo.ch
Conteúdo externo

Artigos mais recentes na swissinfo.ch

O governo suíço decidiu encurtar os períodos de quarentena e isolamento para a Covid para cinco dias, numa tentativa de evitar uma escassez de pessoal que corre o risco de paralisar a economia do país.

As estatísticas federais mostram que o número de alunos estrangeiros que ingressam nas universidades suíças continua a aumentar apesar da pandemia e restrições de viagem. No entanto, menos estudantes estão vindo de fora da Europa.  

Problemas de saúde mental são predominantes entre crianças e adolescentes devido à Covid-19, com meninos tendendo a reprimir problemas enquanto meninas são propensas à depressão, diz o presidente da associação de psiquiatras juvenis da Suíça.

Comparação internacional

Conteúdo externo
Conteúdo externo

Swisscovid

O aplicativo Swisscovid lançado em junho pelo Departamento Federal de Saúde Pública (BAG) é um instrumento utilizado monitorar a pandemia através de um sistema de rastreamento de contatos. O usuário pode então ser avisado caso tenha tido um contato próximo com pessoas contaminadas nos últimos dias.

O aplicativo é gratuito e pode ser baixado no App StoreLink externo do iPhone ou no Play StoreLink externo para aparelhos Android.

Como funciona?

O aplicativo envia cadeias de números gerados aleatoriamente por bluetooth aos celulares onde o aplicativo também está instalado e que estão dentro de um raio de 1,5 metros. O aparelho do usuário também recebe códigos gerados por esses celulares e os armazena por 14 dias. As cadeias de números geradas aleatoriamente não permitem revelar a identidade da pessoa ou registrar dados pessoais do smartphone. Se o proprietário do celular, cujo código estiver armazenado no meu celular, receber um teste positivo, o aplicativo me avisa que posso também ter sido infectado. Os usuários só podem acionar um alarme se receberem um código do médico confirmando o resultado positivo do teste. Assim o sistema evita alarmes falsos.

Onde encontro mais informações?

swissinfo.ch mantém este artigo atualizado diariamente com o número de casos confirmados e as novas medidas tomadas pelas autoridades cantonais e federais. Outras fontes:

  • A maioria dos cantões (estados) tem seus próprios websites com informações sobre a situação local. A lista das páginas locais pode ser vista AQUILink externo.
  • AQUILink externo mais informações sobre o coronavírus 
  • Vários países impuseram restrições à entrada de pessoas vindas da Suíça.  Clique AQUILink externo para obter informações sobre as fronteiras.

O Departamento Federal de SaúdeLink externo: atualizações ao vivo da situação nacional, bem como recomendações, medidas de segurança pública e detalhes dos próximos anúncios.

A Organização Mundial da SaúdeLink externo (OMS): informação sobre a origem e natureza da Covid-19, assim como a situação no mundo (que a OMS atualmente rotula como "epidemia") e conselhos de viagem.

O Ministério suíço das Relações ExterioresLink externo: informações sobre os passos a serem seguidos pelos cidadãos suíços que vão ao exterior.

A Universidade Johns HopkinsLink externo: um mapa global que rastreia o número de casos e mortes por país; os números podem ser ligeiramente diferentes do mapa da swissinfo.ch acima devido a atrasos no tempo e/ou diferentes métodos de definição de casos "confirmados".

Conteúdo externo

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?