Navigation

Cientistas suíços descobrem o calcanhar de Aquiles do coronavírus

O RNA (amarelo) do vírus SARS-CoV-2 forma uma estrutura de pseudo nós (multicolorido, inferior direito) que leva a uma mudança no quadro de leitura do ribossomo (marrom). Desta forma, o RNA viral controla os níveis de produção das proteínas virais. Graphic: Said Sannuga, Cellscape.co.uk / ETH Zurich, The Ban Lab

Pesquisadores do Instituto Federal de Tecnologia de Zurique descobriram um importante ponto fraco do Covid-19: se um processo chave para a produção de suas proteínas for interrompido, a reprodução viral em células infectadas pode ser significativamente reduzida.

Este conteúdo foi publicado em 14. maio 2021 - 14:30
swissinfo.ch/fh

A descoberta, que eles descreveram como o "calcanhar de Aquiles do coronavírus", pode levar ao desenvolvimento de medicamentos antivirais que também podem tratar tipos de coronavírus mais distantes.

A palavra mágica é "mudança de estrutura". Durante a leitura do ácido ribonucleico (RNA), o ribossomo (a própria fábrica de proteínas da célula) ocasionalmente "conta mal" e omite letras. Isto raramente acontece em células saudáveis, porque uma sequência de leitura e cópia incorreta resulta em proteínas disfuncionais.

Entretanto, certos vírus como os coronavírus ou o HIV dependem de tais mudanças no quadro de leitura para regular a produção de suas proteínas. O vírus SARS-CoV-2, que causa a Covid-19, induz a mudança de estrutura dobrando seu RNA de forma incomum e complexa, declarouLink externo a equipe de pesquisa.

Conteúdo externo

"Portanto, uma vez que a mudança de estruturas é essencial para o vírus, mas quase nunca acontece em nosso organismo, qualquer composto que inibe a mudança de estruturas ao visar essa dobra de RNA pode ser potencialmente útil como remédio para combater a infecção", disseram os cientistas.

Até agora, tem havido uma falta de informações precisas sobre a interação do RNA viral com o ribossomo da célula hospedeira infectada durante a transformação de estruturas. Mas pesquisadores do ETH Zürich e das Universidades de Berna, Lausanne e Cork (Irlanda) conseguiram agora observar este processo, que eles explicam na última edição da revista ScienceLink externo.

Compostos químicos

Usando e sofisticados experimentos bioquímicos, eles conseguiram capturar o ribossomo no local de mudança de estrutura do RNA SARS-CoV-2. Os cientistas puderam então examinar este complexo molecular usando a microscopia crio-eletrônicaLink externo.

Eles também foram um passo além e tentaram influenciar especificamente o processo com substâncias químicas. Eles encontraram dois compostos químicos que reduzem a reprodução viral de 10.000 para 1.000 vezes - sem serem tóxicos para as células tratadas com eles.

Os pesquisadores suíços disseram que, embora esses compostos não fossem atualmente suficientemente potentes para serem usados como substâncias terapêuticas, o estudo demonstrou que a inibição da mudança de estruturas ribossômicas teve um efeito profundo sobre a reprodução viral. Isto abre o caminho para o desenvolvimento de melhores compostos que poderiam eventualmente ser usados no tratamento de todos os coronavírus.

"Nosso trabalho futuro se concentrará na compreensão dos mecanismos de defesa celular que suprimem a transformação de estruturas virais, pois isto poderia ser útil para o desenvolvimento de pequenos compostos com atividade similar", disse Nenad Ban, Professor de Biologia Molecular da ETH Zürich e coautor do estudo.

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.