Navigation

Cidades suíças exigem fim de concorrência fiscal

Cidades como Zurique dependem da receita fiscal das empresas para fornecer serviços e infraestruturas. © Keystone / Gaetan Bally

A alíquota mínima proposta de 15% para o imposto das empresas é uma oportunidade para a Suíça unificar seu código fiscal, diz uma organização que representa as cidades suíças.

Este conteúdo foi publicado em 21. junho 2021 - 11:24
swissinfo.ch/fh

Os secretários municipais de finanças criticaram os cantões por tentarem preencher unilateralmente as lacunas fiscais esperadas, em vez de encontrarem uma abordagem conjunta em todo o país.

Os Estados Unidos estão atualmente liderando os esforços dos principais países industrializados do G7 para mudar a forma como as multinacionais são tributadas globalmente.

Uma das propostas é impor uma alíquota mínima de imposto corporativo - sugerida em 15%. Os adversários dizem que isto prejudicaria os países menores, como a Suíça, que estabelecem impostos mais baixos para atrair sedes regionais de multinacionais.

Mas a Conferência Suíça dos Diretores de Finanças Municipais disse na segunda-feira à emissora pública suíça SRFLink externo sua satisfação com a reforma tributária proposta.

"As cidades sempre se pronunciaram a favor de uma tributação apropriada para grandes corporações e empresas", disse o vice-presidente Daniel Leupi. "Elas devem contribuir apropriadamente para participar dos serviços e da infraestrutura que as cidades oferecem".

Leupi acrescentou que a reforma tributária vem sendo discutida desde que a Suíça foi obrigada pela União Europeia a acabar com as práticas tributárias prejudiciais à concorrência em 2019.

Caso a alíquota mínima do imposto corporativo se torne realidade, Luepi adverte contra uma resposta opaca e fragmentada, como os créditos fiscais de pesquisa em alguns cantões e diferentes medidas em outros.

A Associação das Cidades Suíças já fez este apelo, argumentando em um pronunciamentoLink externo de 9 de junho que "novas reformas abrigam o risco de criar novas desigualdades entre os cantões".

As cidades suíças querem substituir a concorrência fiscal cantonal por uma harmonização nacional do código tributário.

"É particularmente importante destacar os verdadeiros pontos fortes de nosso país, como a segurança, uma força de trabalho bem qualificada, infraestruturas de ponta e estabilidade política", afirmam.

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.