Navigation

Órgão da ONU reconhece meio ambiente limpo como direito humano

Os 47 membros do Conselho de Direitos Humanos reúnem-se em Genebra. Keystone / Salvatore Di Nolfi

O Conselho de Direitos Humanos da ONU apoiou uma resolução promovida pela Suíça para reconhecer um novo direito fundamental: o acesso a "um meio ambiente seguro, limpo, saudável e sustentável".

Este conteúdo foi publicado em 12. outubro 2021 - 07:30
swissinfo.ch/fh

O textoLink externo, proposto pela Suíça, Costa Rica, Maldivas, Marrocos e Eslovênia, foi muito bem aceito e suscitou "uma rara explosão de aplausos no fórum de Genebra", segundo a agência Reuters. 

Apesar das críticas ao texto por parte de países como os Estados Unidos e o Reino Unido, a votação foi aprovada com 43 votos a favor e quatro abstenções (Rússia, Índia, China e Japão).

A decisão colocará mais pressão sobre os países para que tomem mais medidas sobre as mudanças ambientais, o que a Alta Comissária Michelle Bachelet disse no mês passado estar se configurando como "o desafio mais importante para os direitos humanos" em todo o mundo.

Embora o texto não seja vinculativo, alguns países disseram durante o debate que uma nova lei deveria ser aprovada para que assim fosse; o Conselho de Direitos Humanos também pediu à Assembleia Geral da ONU que discutisse a questão mais a fundo.

A embaixadora da Costa Rica, Catalina Devandas Aguilar, disse que a decisão "enviará uma poderosa mensagem às comunidades em todo o mundo que lutam com as dificuldades climáticas de que elas não estão sozinhas".

Os críticos haviam levantado várias objeções, dizendo que o Conselho não era o fórum apropriado e citando preocupações legais.

A Suíça, assim como os EUA, não faz parte atualmente do Conselho de Direitos Humanos, com 47 membros, e, portanto, não votou a resolução em si. Entretanto, como país observador, ela pode apresentar propostas.

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.